Notícias

Jeans verde: cientistas pretendem diminuir impactos da tintura do tecido

Ideia é substituir corante índico por bactérias concebidas em laboratório

09 de Fevereiro de 2018
Foto Projeto
O índico é o corante que dá o tom característico ao jeans

Para reduzir os impactos da produção do jeans, cientistas desenvolveram um novo método de tingimento. Segundos os pesquisadores, a bactéria Escherichia coli (E. coli) quando modificada em laboratório pode substituir o índico, corante que dá o tom característico ao tecido, de maneira ecologicamente correta.

"O índigo é um tintura antiga, capaz de produzir os tons de assinatura em denim azul; no entanto, o processo de tingimento requer etapas químicas que são prejudiciais para o meio ambiente", assinalou o estudo publicado neste mês na revista científica Nature Chemical Biology.

O índigo era originalmente extraído de uma planta, mas hoje sua obtenção é quase sempre em laboratório, um processo bastante nocivo ao ambiente, levando-se em consideração sua escala de produção. Um total de 95% das 45 mil toneladas de índigo sintético utilizadas a cada ano são usadas para tingir as 4 bilhões de peças de jeans fabricadas anualmente, segundo dados.

A pesquisa aponta que essa demanda supõe um grave problema de longo prazo, referindo-se, por exemplo, ao uso de produtos químicos como o formol e o cianeto de hidrogênio. Além disso, muitas fábricas despejam os materiais de tintura nos rios, contaminando solos e lençóis freáticos.

Para ser utilizado em escala industrial, o processo ainda precisa ser aperfeiçoado, visto que, para produzir as cinco gramas de índigo necessárias para tingir uma calça, seriam necessários vários litros de bactérias.

Com informações da AFP