Notícias

Projeto combate o tráfico de aves

Desde 1988, mais de 4 mil papagaios-verdadeiros já foram apreendidos pelos órgãos fiscalizadores

28 de Novembro de 2017
Foto Projeto
Papagaios-de-cara-roxa na natureza / Crédito: Roberto da Silva - Wikiaves

As aves são os animais mais cobiçados pelo tráfico de fauna silvestre. Cerca de 80% dos animais apreendidos pelo Ibama são pássaros. O Brasil é o segundo país com maior diversidade de aves, um território propício para o comércio ilegal. Entre as espécies mais vulneráveis estão os papagaios.

Com intuito de combater o tráfico, foi lançado neste mês o Programa Papagaios do Brasil. A inciativa propõe ações de conservação de seis espécies: papagaio-verdadeiro (Amazona aestiva); papagaio-charão (Amazona pretrei); papagaio-de-peito-roxo (Amazona vinacea); papagaio-de-cara-roxa (Amazona brasiliensis); papagaio-chauá (Amazona rhodocorytha); e papagaio-moleiro (Amazona farinosa).

Dentre essas espécies, quatro são reconhecidas como ameaçadas de extinção pelo Ministério do Meio Ambiente: o de cara roxa, de peito roxo, chauá e o charão. Eles representam pouco mais de um terço das espécies de papagaios brasileiros que vivem na Mata Atlântica, um dos ecossistemas mais ameaçados do mundo.

O projeto faz parte do Plano de Ação Nacional para Conservação dos Papagaios da Mata Atlântica, PAN Papagaios, de 2011. As espécies foram escolhidas pela ameaça decorrente do tráfico e perda de habitat. Segundo o plano, "a coloração vistosa e a fácil adaptação ao cativeiro associada à habilidade de imitar a voz humana fazem dessas espécies um dos grupos mais procurados como animais de estimação".

O programa conta com apoio da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza e realização da Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental (SPVS), Parque das Aves, Fundação Neotrópica, Associação Amigos do Meio Ambiente (AMA) e ICMBio/Cemave.

Papagaio-de-cara-roxa

Essa espécie vive em uma estreita faixa da Mata Atlântica que se estende do litoral do Paraná ao litoral sul de São Paulo. Caracteriza-se pela fronte vermelha e pela 'faixa' roxo-azulada ao redor do pescoço e cabeça. Possui em média 36 centímetros de altura. Para se reproduzir, constrói ninhos em ocos de árvores e eventualmente em bromélias. Alimenta-se de frutos, folhas, sementes, flores, néctar e, raramente, de larvas de besouros e pequenas aranhas.

Papagaio-verdadeiro

No Brasil, esta é a espécie mais conhecida de papagaio devido à sua grande habilidade em imitar a fala humana. Habita o Nordeste, Sudeste, Centro-Oeste e Sul do país. Diferencia-se das outras espécies por possuir bochechas e frontes azuis e coloração amarela ao redor dos olhos. Sua dieta é composta de flores, polpa de fruto, folhas e sementes de frutos secos. Gosta de se reproduzir em buracos de rochas ou em barrancos. Segundo o PAN Papagaios, mais de 4 mil papagaios-verdadeiros já foram apreendidos pelos órgãos fiscalizadores desde 1988.

Papagaio-charão

O charão é um dos menores dentre os papagaios brasileiros, medindo cerca de 32 centímetros e pesando por volta de 280 gramas. Suas cores predominantes são o verde e o vermelho, sendo que no macho a coloração vermelha é mais evidente. Vive nos estados do Rio Grande do Sul e Santa Catarina e nas florestas com araucárias, onde se alimenta das sementes do pinheiro-brasileiro. Seus ninhos são construídos em ocos de árvores em áreas florestais.

Papagaio-de-peito-roxo


Essa ave é identificada pelo escamado de cor roxa das penas do peito. Com 35 centímetros, esta ave gosta construir ninhos em ocos de árvores. Sua alimentação é composta por sementes, frutas, flores, folhas e broto de bambus. Essa espécie habita o Sudeste e Sul do Brasil, podendo viver até 30 anos. Seus movimentos são lentos para se camuflar nas matas.

Papagaio-chauá

É endêmico da faixa litorânea do centro-leste do Brasil, ocorrendo de Alagoas ao sul do Rio de Janeiro, até o leste de Minas Gerais. O status populacional da espécie é um dos menos conhecidos. Possui o corpo esverdeado e cabeça bem colorida, mesclando tons de vermelho, amarelo, laranja e azul. Constrói ninhos em ocos de árvores e se alimenta de frutos, sementes e brotos do topo das árvores. É comum vê-lo se alimentando também de frutas nativas do Brasil como carambola, cajá, caju e jambo, além das exóticas como abacate, acerola, banana, jaca e manga.

Papagaio-moleiro

Este é o maior papagaio brasileiro, com cerca de 40 cm de altura. Além do tamanho, é conhecido por ter comportamento dócil. Pode ser encontrado em florestas mais densas da Amazônia, Bahia, São Paulo e leste de Minas Gerais. Em seu corpo predomina o verde e um leve esbranquiçado. Come geralmente frutos e palmeiras. Reproduz-se em buracos de árvores e em salientes rochosos.

Curta o projeto Papagaios do Brasil no facebook